Conheço as suas obras, sei que você não é frio nem quente. Melhor seria que você fosse frio ou quente!” Ap. 3:15  NVI

 Quando começamos a servir Jesus, nosso coração arde, como ardeu o coração dos dois discípulos no caminho de Emaús (Lc 24.32). Com o passar dos dias, essa temperatura pode ser conservada, diminuída ou aumentada; depende do quanto nos aproximamos de Jesus e da atenção que damos à Sua Palavra.
É necessário que o coração esteja aquecido. Pessoas que se amam cultivam afetividade intensa; gostam de estar próximas e participam juntas de atividades extravagantes. Quando o amor esfria, a tendência é que haja um desinteresse pelo objeto do amor – Pessoa Querida; além disso, pouco ou quase nada se faz para que o relacionamento seja reavivado.
Quando o amor por Jesus está quente, amamos intensamente. Entregamos tudo ao Seu serviço, lemos Sua Palavra, esforçamos em obedecê-la, temos preocupação com coisas erradas, abandonamos vícios, testemunhamos de Jesus aos descrentes e participamos voluntariamente do processo de santificação: abandono do pecado e dedicação à Deus.
Quando o amor por Jesus está frio não fazemos caso de Sua Palavra, não temos preocupação com o pecado, achamos que o Diabo é apenas uma figura de linguagem, fazemos muitas concessões, tais como: mentimos, falhamos na fidelidade, abrimos brechas em nossa conduta, dialogamos com os porta-vozes da maldade etc. Além disso não demonstramos interesse pelo céu (tendo a terra como fonte de prazer) e desprezamos os meios da graça que são instrumentos divinos para a nossa santificação (Bíblia e Oração).
O amor frio é um retrocesso. É o retorno dos que não foram. É a triste condição de um coração que tinha tudo para avançar no crescimento em graça, mas desprezou a bênção como fez Esaú, que por um “prato de lentilha” abriu mão da promessa divina e do direito de ser o cabeça de um abençoado projeto de Deus na terra (Hb 12.16,17). As histórias mais tristes que estão registradas nas Escrituras são as referentes aos FRIOS.
Adão esfriou na obediência, Sansão na força, Salomão na sabedoria, Judas no discipulado. Demas esfriou-se amando o presente século (II Tm 4.10). Jesus disse à igreja de Éfeso que abrir mão do primeiro amor é um grande prejuízo para a alma. Descaracteriza o cristão e desonra o nome de Senhor. Geralmente quando o amor por Cristo esfria, o AMOR PELO MUNDO FICA AQUECIDO! É necessário lembrar sempre da recomendação do apóstolo do amor:
“Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não são do Pai, mas do Mundo. E o mundo passa e a sua concupiscência, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre”. I João 2.15-17.
Que o Senhor nos guarde e que possamos enfrentar todas as frentes frias que porventura procurem atacar a nossa espiritualidade. Grande abraço e que o Senhor nos abençoe!

 

Pr. Samuel Suana, dirige a igreja O BRASIL PARA CRISTO  em Pindamonhagaba – Superintendente do Vale do Paraiba